Muitas questões a cerca da saúde mental em situações como a que estamos vivendo, sempre vem à tona. Nesse texto, com perguntas e respostas, buscamos sanar e ajudar você a lidar melhor com a pandemia do novo Coronavírus, e cuidar de algo tão importante quando à Saúde Mental.
1- Como reduzir o estresse e promover o bem-estar nesse momento de Pandemia?
Neste momento de Pandemia as pessoas acabaram sofrendo uma grande pressão emocional
devido ao medo em relação do adoecimento e da morte, gerando também uma preocupação
maior em relação à situação financeira e nossas limitações em relação ao que era habitual.
Anteriormente éramos “livres”, hoje vivemos várias restrições que até então não tínhamos
vivenciado antes.
Praticar a resiliência (adaptação rápida as mudanças) diariamente ajuda muito, pois ela nos
auxilia a lidar com as mudanças, e neste momento de pandemia, isto passou a ser fundamental
já que a vida foi desconfigurada.
Mudar de foco, não ficar o tempo pensando na COVID-19 e nos estragos que ela vem causando
mundialmente. Procurar fontes verdadeiras para saber e se informar sobre o assunto. Não
adianta negar a situação, pois tal atitude pode inclusive nos colocar em risco de adoecer.
Procurar fazer atividades que lhe dê prazer e bem-estar, seja ver filmes, cozinhar, conversar com
amigos ou família. Atividades físicas, meditação e até mesmo não fazer nada e descansar.
2- Qual a importância do sono e da alimentação para o equilíbrio da saúde mental?
Tanto a boa qualidade de sono e de alimentação são importantes para mantermos o equilíbrio
da saúde mental, já que ambos implicam diretamente em nossa rotina do dia a dia.
Dormir mal pode trazer vários problemas que impedem uma vida com qualidade, como cansaço
durante o dia, sonolência e até falta de memória. Além de poder causar crises de humor, os
picos de nervosismo e de estresse resultante das noites mal dormidas. Durante o sono,
importantes substâncias como a serotonina — responsável pelo bem-estar — são produzidas.
Assim, procure dormir o suficiente para seu corpo, pois cada pessoa tem sua necessidade de
horas de sono para ficar bem no outro dia.
A manutenção de hábitos alimentares adequados também influencia bastante o bom
funcionamento da mente. Isso porque muitos alimentos — principalmente os vegetais folhosos
e algumas frutas — contêm elementos essenciais para evitar desajustes como a depressão e os
transtornos de humor.
Design sem nome
3- Como controlar as expectativas para que não se tornem frustrações?
O principal é gerenciar suas expectativas, as expectativas exageradas causam mais do que
frustração, trazendo também, insegurança e sofrimento. Entender que a felicidade e o bem-
estar podem ser encontrados em coisas mais simples do que imaginamos e até mesmo em coisas
que nem imaginamos.
Hoje temos que lidar além das nossas expectativas de felicidade somos cobertos pela
“felicidade” do outro, vistas nas redes sociais, o que nem sempre expressa a verdade e muito
menos a certeza de que o outro é feliz.
Saber ou aprender lidar com as frustações se faz necessário desde a infância até a velhice, somos
seres faltantes e aprender a conviver com a falta, com frustações e até mesmo com a felicidade
é importante.
Caso sinta que está difícil demais lidar sozinho com as frustações ou com as vicissitudes da vida
vale procurar um psicólogo para uma elaboração diferente, encontrar novos caminhos e
significados para vida, lidando de outras formas e encontrando novos meios para diminuir ou
evitar o sofrimento.
4- Como devemos lidar com a solidão?
A solidão aflige o ser humano desde muito tempo atrás, mas hoje com essa situação de
pandemia tem aumentado esse sentimento para muitos de nós, visto que estamos mais tempo
longe de pessoas e atividades que eram cotidianas.
Estudar e trabalhar em casa, saindo menos, viajando menos, isso tudo começou a pesar mais
depois de nos vermos em isolamento social.
Ter um outro olhar em ficar sozinho, se permitir conhecer mais a si mesmo, deixar a criatividade
sair, aproveitando esses momentos, os sentimentos e ideias se manifestam com menos
barreiras.
Pensar na origem dessa solidão ajuda também, aumentar a qualidade nas interações com as
pessoas e principalmente combater os pensamentos negativos.
E como nos demais temas, se a solidão for grande demais não hesite em procurar uma terapia,
não dê margem para que outros transtornos como, por exemplo, a depressão fixe em você.
5- O uso da tecnologia pode desencadear algum tipo de transtorno?
O excesso do uso da tecnologia pode sim desencadear transtornos psicológicos, tais como
ansiedade, depressão e dependência/vício, tanto em games, como em smartphones, redes
sociais, etc.
O que pode ser feito é se permitir fazer outras atividades para “sair”, se “desligar” da internet
tais como fazer exercícios físicos, cozinhar e até mesmo não fazer nada.
Começar perceber o tempo dedicado a internet e demais atividades e buscar um equilíbrio entre
elas.
6- Cuidar do corpo pode ter reflexo positivo na saúde mental?
Sim, é necessário cuidar do corpo de maneira equilibrada para que não seja um motivo de
sofrimento para a pessoa. Hoje em dia há uma cobrança muito grande em relação ao corpo
“perfeito” e ao não envelhecer do corpo, isso prejudica e acarreta diversos transtornos
psicológicos como, por exemplo, transtorno disfórmico corporal: envolve um foco obsessivo em
um defeito que a pessoa considera ter na própria aparência. O defeito pode ser pequeno ou
imaginado. Mas a pessoa pode passar horas por dia tentando corrigi-lo. A pessoa pode
experimentar muitos procedimentos estéticos ou se exercitar em excesso. Pessoas com esse
transtorno costumam examinar sua aparência no espelho com frequência, compará-la
constantemente com a dos outros e evitar situações sociais ou fotos.
O cuidado equilibrado é o que precisamos, para manter nosso corpo saudável e, também para
nos sentirmos mais bonitos e atraentes, seja para si mesmo ou para o outro. Aceitar e conviver com nosso corpo com qualidades e com defeitos contribui, e muito, para mantermos nossa
saúde mental.
Design sem nome 1
7- A tensão e o medo levam muitas pessoas a terem sintomas de depressão e ansiedade.
De que forma é possível conter esses sintomas? Quando procurar ajuda profissional?
O medo do vírus desconhecido, o tédio do isolamento, a incerteza quanto ao futuro e as
dificuldades financeiras causadas pela pandemia de Coronavírus contribuíram para o aumento
significativo de sintomas psíquicos e de transtornos mentais, e a ansiedade e depressão se
destacam entre eles.
Os maiores gatilhos para os transtornos de humor, como a depressão, são a duração da
quarentena, medo da infecção e da morte, frustração, tédio, falta de suprimentos, falta de
informação, e perdas financeiras.
A ansiedade tende aumentar quando começamos a focar no futuro e ainda mais quando
acreditamos que estamos perdendo controle e quando começamos imaginar um cenário pior
do que é ou que as coisas são piores do que realmente são.
O medo da morte é muito comum no ser humano e num cenário de pandemia, no qual ouvimos
muito sobre morte todo o tempo nos meios de comunicação e até mesmo nas conversas
corriqueiras, nesse contexto a tendência é aumentar a tensão e o medo.
A depressão pode ser identificada nas pessoas que sentem uma tristeza profunda, sentimento
de culpa, baixa autoestima, distúrbios de sono e apetite, perda de prazer nas atividades,
também nas relações pessoais, além da sensação de estar sem energia e desmotivada.
A importância de tratar a ansiedade e a depressão é possibilitar uma maior qualidade de vida e
buscar uma ressignificação afim de diminuir o sofrimento e a angústia.
Buscar um tratamento psicológico é essencial e hoje temos mais possibilidades e opções para
realizar esse tratamento. Temos consultas remotas e presenciais, com diferentes tipos de
valores, tornando mais acessível e levando a saúde mental para um número maior de pessoas.
www.ampliamente.com.br
@am.pliamente – instagram
@ampliamente – facebook
11 97407-4299 – WhatsApp
contato@ampliamente.com.br
Compartilhar: